O implante Maxum, com transmissão eletromagnética do som, ganha pesquisa nacional

Cortesia: Ricardo Bento

Divulgado em 2009 pela empresa norte-americana Ototronix, o Maxum é um implante de orelha média, voltado para pacientes com perda auditiva neurossensorial de grau moderado a severo, que não registram bons resultados em termos de reconhecimento de fala com aparelhos auditivos.

Semi-implantável, o dispositivo é constituído por duas partes. A primeira é um implante de 1,35 mm de diâmetro e 2 mm de comprimento, colocado na bigorna do paciente, e ancorado à articulação incudo-estapedial. A segunda peça é um aparelho intra-auricular, com microfone e amplificador, porém, sem receptor, o qual é substituído por uma bobina magnética, que transmite o sinal até o implante, fazendo-o vibrar e estimular a cóclea.

O procedimento para inserir o implante na orelha média é ambulatorial e demora de 30 a 45 minutos “As indicações são basicamente as mesmas dos implantes totalmente implantáveis Esteem e Carina, mas, o procedimento é muito mais simples, requerendo apenas anestesia local”, salienta o Prof. Ricardo Bento (Departamento de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da USP), que realizou as três primeiras cirurgias no Brasil. No total, serão implantados 10 pacientes, a fim de se avaliar o desempenho do dispositivo.

O objetivo é verificar se o Maxum permite superar a performance de aparelhos auditivos. “Isto pode ocorrer porque o sistema possui um componente externo, o que permite ventilar o conduto auditivo e eliminar o efeito de oclusão”, explica a audiologista Isabela Jardim, que participa da pesquisa. Outro motivo, de acordo com o fabricante, para um desempenho melhorado em relação ao AASI é o modo de estimulação, promovendo um som mais limpo e maiores possibilidades de amplificação sem microfonia.

No final de 2016, foram publicados resultados preliminares de um estudo que procura avaliar seis orelhas com perdas de grau severo e implantadas com o Maxum (*). Os dados mostram que, com o dispositivo, foram registrados escores superiores em termos de ganho funcional e reconhecimento de palavras no silêncio do que com aparelhos auditivos bem adaptados.

O Maxum é comercializado nos Estados Unidos desde 2011. Ele está disponível também na Argentina e na Colômbia. Em breve, a Ototronix deve anunciar um distribuidor para o Brasil.

(*)The ototronix MAXUM middle ear implant for severe high-frequency sensorineural hearing loss: Preliminary results. Hunter JB, Carlson ML, Glasscock ME. Laryngoscope. 2016

Saiba mais e altere os parâmetros.">