INAD Brasil 2017 destacará conforto acústico em ambientes educacionais

INAD BRASIL

Com o tema conforto acústico e educação, a coordenação do INAD Brasil – Dia Internacional de Conscientização sobre o Ruído – prepara as estratégias para 2017. Esse ano, o INAD será celebrado no dia 26 de abril, quando marca o início das ações da campanha em todo o país. O lema escolhido para este ano é “Conforto acústico e educação, um bem pra você e sua audição”.

O INAD, em sua concepção, tem na educação a principal via de conscientização da população. Em 2016, a campanha no Brasil voltou suas ações especificamente à escola, com a intenção de primar por um cenário em que, desde a primeira edição em 2008, tem ganhado destaque. Inicialmente, chamou-se atenção para os efeitos do ruído em sala de aula que podem repercutir desde um simples incômodo até problemas mais significativos de aprendizagem, dificuldade de concentração e de escuta dos alunos, além da possibilidade de comprometer a voz do professor e potencializar a irritabilidade das pessoas expostas a ele, seja o professor ou alunos. Sendo assim, a conscientização em evitar comportamentos que geram competição sonora como conversa paralela, arrastar de cadeiras, gritos, entre outras, foi foco da campanha em 2016.

Além do ruído interno da escola, como um espaço urbano está sob influência também da poluição sonora externa produzida pelo ruído do trânsito de ruas movimentadas, buzinas, sirenes, carros de som, entre outros. Assim, em continuidade às ações em ambientes de educação, em 2017 a discussão sobre a mitigação da poluição sonora no espaço urbano chama a atenção para as possíveis mudanças físicas nos ambientes como vedação e uso de materiais acusticamente absorvedores. Completa-se a abordagem sobre a escola como espaço urbano, ações dedicadas à mudança do comportamento humano atreladas a soluções acústicas nos ambientes.

Embora a denominação da campanha sugira “um dia”, as ações não ficam restritas à data, pois os organizadores vêm incentivando atividades que tenham repercussão mais duradoura, em detrimento das ações pontuais. Justificam-se por entenderem que somente assim haverá a mudança de hábitos e conscientização para a problemática do ruído na população.

Isabel Kuniyoshi, Stephan Paul e William Fonseca, coordenadores nacionais do INAD Brasil

Saiba mais e altere os parâmetros.">